in

Bolsonaro ameaça acionar as forças armadas para que Brasil volte à normalidade

Na última quinta-feira (27), o presidente, Jair Messias, esteve na cidade de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, na inauguração da Ponte Rodrigo Cibele. Na ocasião, o político afirmou que o país não está vivendo um estado de normalidade e que, para preservar a liberdade ao povo, conta com a ajuda dos militares.

Segundo Jair, o que o brasileiro quer é progresso, paz e liberdade, sendo que este último teria o auxílio dos militares. De acordo com ele, são as forças armadas que decido como o povo vida, isso em qualquer nação do mundo.

O presidente ainda afirmou que ninguém estava ali com a finalidade de fazer um discurso político, porém, ressaltou que todos são políticos. “Se Deus deu essa missão para nós, vamos aproveitá-la no bom sentido”, disse ele.

Bolsonaro ainda fez questão de acrescentar que tem conversado bastante com o general Braga Netto, ministro da Defesa, e que tem toda certeza de que caso seja preciso, os militares agirão “dentro das quatro linhas da Constituição“.

Para ele, a liberdade dos brasileiros estaria sendo ameaçada com as medidas de restrição adotadas por governadores dos estados a fim de combater o avanço da pandemia do Covid-19.

Em outro trecho de seu discurso, Bolsonaro afirmou que a Amazônia ainda é do Brasil devido à ação de militares na região. “É um sacrifício viver longe do conforto dos grandes centros, mas todo mundo tem como dar um pouco de si pelo país”.

Vídeo: Revoltado, Doria chama Bolsonaro de ‘genocida’ e bate-boca com Zambelli

Bolsonaro anuncia triste morte em sua rede social ; ‘Nos deixou ontem’