in

Especialistas alertam governo Bolsonaro sobre nova onda de Covid-19

Uma notícia tem assombrado os brasileiros, após um grande número de mortos em todo o país por conta desse terrível vírus. Temos visto o país de certa forma tentando se estabilizar, em vários lugares as atividades estão sendo regularizadas novamente e os brasileiros sendo autorizados a voltar a trabalhar.

Porém uma notícia começou a circular nas redes sociais e tem dado muito o que falar, que seria sobre um novo alerta dos especialistas sobre uma terceira onda que poderia atingir o nosso país. Essa notícia tem deixado todos apavorados, pois nosso sistema de saúde não aguentaria passar por mais um colapso e também em relação à economia seria um grande desafio ter que passar por outro período de fechamento nos comércios e empresas.

Apesar dos números apontarem para que essa estatística se torne possível, há também uma controvérsia de um grupo de especialistas que defendem a tese de que se os brasileiros continuarem cumprindo as medidas de segurança básicas como o distanciamento e o uso de máscaras essa onda poderá ser evitada. O que é um grande desafio para os brasileiros como sociedade, pois temos visto muitas pessoas realizando festas clandestinas com grande número de pessoas.

E com a liberação do comércio e outras atividades as pessoas abaixa a guarda e levado suas vidas normalmente, isso é um dos grandes problemas que faz nosso país não conseguir sair desse ciclo. Pois sempre que os casos diminuem e as pessoas começam a viver normalmente esses casos aumentam novamente e voltamos a ter as restrições, porém a cada onde que se passa temos a experiência do aumento no número de mortes.

Além de que o vírus tem sofrido mutações que faz que as pessoas morram mais rápido e o vírus se torne mais contagioso, portanto todos os cuidados necessários deverão ser mantidos até que a população possa ser toda vacinada. Se não teremos problemas novamente.

URGENTE: Dilma Rousseff é internada as pressas em hospital de Porto Alegre

Carnaval de Bolsonaro custou cerca de R$ 1,7 milhão aos cofres públicos, segundo dados oficiais